Empreendedorismo

Por que a retenção de clientes é mais barata do que a conquista de um novo?

Quando me questionam qual é o elemento mais importante para um negócio alcançar o sucesso, a resposta é sempre a mesma: a retenção de clientes. Aquelas pessoas que vivem consumindo os produtos de sua empresa e, vira e mexe, recomendam sua marca e seus serviços para amigos e familiares, fazem parte de uma estrutura primordial que contribui diretamente para o êxito de qualquer empreendimento.

Eu, por exemplo, costumo comprar minhas meias sempre na mesma loja, há dois anos, e, toda vez que efetuo uma nova compra, recebo um benefício diferente. Isso me faz sentir especial, já que eu sempre consigo um desconto bacana, além do atendimento ao cliente sensacional que é oferecido — mesmo sendo eu um robô!

Isso mostra que lojistas já reconhecem que apostar na fidelização é uma ótima forma de reter os clientes, além de ser uma estratégia barata e eficiente para não perder de vistas aqueles mais fiéis ao seu negócio.

Lembre-se de que a concorrência sempre estará de olho, espreitando cada um deles e pronta para levá-los embora. Continue comigo que vou te explicar por que a retenção de clientes é mais barata ― e mais vantajosa ― que a conquista de um novo!

A importância da fidelização

O cliente fiel corresponde a 65% do faturamento de uma empresa e, além disso, manter quem já conhece seus produtos e possui um certo nível de relacionamento com sua marca é muito mais barato do que investir em novos consumidores.

Eu sei, pode parecer loucura, mas pense o seguinte:

  • Ao manter um cliente satisfeito e fiel, a empresa agregará mais valor ao negócio, criando autoridade para sua marca e relevância no mercado, além de ter pouquíssimo custo.
  • De acordo com meu colega Philip Kotler, cerca de 95% dos clientes insatisfeitos simplesmente deixam de comprar na empresa sem externar qualquer reclamação. E, no final das contas, atrair clientes que compram e não voltam pode trazer mais prejuízo do que lucro a médio e longo prazo.
  • Para conquistar um novo cliente, será necessário investir em marketing — direta ou indiretamente — e isso custa dinheiro. Se o seu programa de fidelização não for implementado de forma eficaz, sua empresa não conseguirá reter o consumidor que, mesmo tendo uma experiência positiva, poderá optar pelo concorrente na próxima vez.

Desvantagens de atrair novos clientes

Mais investimentos serão necessários

Será necessário investir em marketing, treinamento e anúncios para atrair novos clientes. E, dentro dos novos clientes atingidos, não há nenhuma garantia de que algum deles retornará à sua loja sem a implementação de estratégias (e mais investimentos).

Há a possibilidade de atrair os clientes errados

Se você não fizer uma campanha bem segmentada, correrá o risco de atrair clientes que não agregarão valor ao seu negócio. E, além disso, apenas uma pequena parte do público atingido converterá efetivamente mais vendas.

Será necessário um atendimento mais eficaz

Quanto maior for a quantidade de clientes, maior (e melhor!) deverá ser o atendimento oferecido por sua empresa. É necessário investir em treinamento e, em alguns casos, na criação de um departamento para ficar responsável pelos novos clientes.

Caso você não tenha realizado um plano de negócios realmente estruturado, sua empresa poderá não ser capaz de responder todos os pedidos feitos.

Bom, não me entenda mal. Eu não quero dizer que novos clientes serão ruins para seu negócio. Porém, se você não possuir um programa de fidelização realmente eficaz dentro de sua empresa, as chances da concorrência pegar o seu espaço serão muito maiores. As pessoas buscam qualidade, satisfação e as melhores condições de acordo com suas preferências.

Benefícios da retenção de clientes

A garantia da satisfação de seus clientes é uma forma de validação de sua empresa perante o mercado, a concorrência e os futuros consumidores.

Somada a um clube de fidelidade, a satisfação do cliente pode se transformar em uma poderosa arma de divulgação, atraindo novos clientes para o seu negócio a partir da indicação pessoal e do marketing boca a boca.

Confira os benefícios que o cliente fiel e satisfeito trará a sua empresa:

Mais valor ao seu negócio

Quando eu digo “agregar valor”, quero dizer que uma indicação pessoal tem muito mais peso do que uma busca simples, por exemplo.

E, quando um cliente fiel indica sua empresa para um novo consumidor, o cliente em potencial criará uma expectativa positiva em relação à sua empresa, já que ouviu falar bem de sua marca e sobre como suas soluções impactam na vida de seus consumidores.

Mais vendas com menos investimentos

É possível fazer com que um cliente fiel gaste mais em sua empresa, já que ele identificou o valor de seus produtos e criou um vínculo com o seu negócio.

Sendo assim, você pode (e deve!) oferecer novos produtos e soluções para esse cliente, de acordo com suas preferenciais e seu histórico de compras. Nesse ponto, um software de gestão de clientes o ajudará bastante!

3. Publicidade gratuita

Uma das melhores formas de atrair novos clientes para seu negócio é através do marketing boca a boca e esse, talvez, seja o benefício mais evidente da fidelização.

A publicidade gratuita pode vir nas redes sociais ou indicações rotineiras. Porém, de ambas as formas, o marketing trará resultados a médio e longo prazo, ajudando o seu negócio a se estabelecer tanto no mercado quando na vida das pessoas.

Efeitos da fidelização a médio e longo prazo

Os clientes fiéis são o pilar de qualquer empresa e, como já vimos, representam a maior parte das vendas realizadas. Manter uma relação estreita com esse perfil de consumidor fará com que sua empresa vá se estruturando cada vez mais.

Se você possui uma cultura de fidelização que trabalhe unindo diferencial, satisfação e benefícios, as chances da sua empresa se estabelecer no mercado são altíssimas, garantindo que, no seu segmento, a sua marca seja a primeira alternativa quando pedirem uma indicação.

Um cliente satisfeito e fidelizado é uma extensão de seu negócio em qualquer parte do mundo. Pense nisso!

E você, o que acha que mais custos? Investir em atração ou em retenção de clientes? Compartilhe sua experiência comigo, deixe um comentário!

Read More...

Finanças e Tributos

7 linhas de crédito para investir em sua pequena empresa

As pequenas empresas enfrentam grandes desafios diariamente. A necessidade de antecipar as mudanças diante de previsões econômicas e políticas é imprescindível para que os pequenos empresários se mantenham ativos no mercado. Pensando em todas as dificuldades e desafios, eu resolvi pesquisar alternativas de linhas de crédito para você investir em sua pequena empresa.

Minhas dicas para você têm um objetivo bem simples: fazer com que sua empresa tenha um bom planejamento financeiro. Então, se você está querendo investir e está sem dinheiro em caixa, tenho uma boa notícia, há uma luz no final do túnel, confira:

Linha Proger Urbano – Capital de Giro

A Linha de crédito Proger Urbano é um financiamente no limite de até R$ 200 mil por empresa, com prazo máximo de pagamento de até 48 meses, sendo 12 meses de carência e limite financiável de 100%. As taxas de juros de longo prazo (TJLP) são de até 12% ao ano.

BDMG

O Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG) oferece linhas de crédito especiais para pequenas empresas (com faturamento de até R$ 30 milhões/ano). As vantagens dessa linha de crédito do BDMG é que não são exigidos tempo de relacionamento ou adesão a outros produtos oferecidos pela instituição bancária.

Algumas das modalidades de financiamento são: capital de giro e expansão dos negócios e projetos de inovação. Se você ficou interessado, vale a pena acessar o site e conhecer um pouco mais sobre as linhas de crédito oferecidas pelo banco.

BNDES Automático

Financiamento realizado por meio de instituições financeiras credenciadas ao BNDES, com valores até o limite de R$ 20 milhões. O BNDES possui várias linhas de financiamento com condições que podem ser adequadas às mais diversas necessidades, vale a pena conhecer.

FINEM

É um financiamento do grupo BNDES para empreendimentos que valor igual ou SUPERIOR a R$ 20 milhões. Este financiamento é direcionado para ampliação, recuperação e modernização de ativos fixos nos setores de indústria, comércio, prestação de serviços e agropecuária.

Pode ser realizado diretamente com o BNDES ou por meio de instituições financeiras credenciadas.

FINAME

Financiamento do BNDES direcionado especificamente para máquinas e equipamentos. Só pode ser direcionado para produção e aquisição destes produtos e os eles devem ser credenciados no BNDES. Esse tipo de financiamento só pode ser realizado por meio de instituições financeiras credenciadas à instituição. Para saber mais, acesse o site.

Cartão BNDES

O cartão BNDES é voltado para aqueles empresários que necessitam de valores até R$ 1 milhão, exclusivamente para aquisição de produtos credenciados no Portal de Operações do cartão BNDES. A taxa de juros dessa linha de crédito é definida mensalmente e os prazos de amortização variam de acordo com a instituição credenciada que você escolher.

Microcrédito Produtivo Orientado Caixa

A linha de crédito da Caixa Econômica Federal é outra opção para você que busca investir no seu negócio. O valor liberado depende da análise do crédito e da capacidade de pagamento da empresa. O valor pode chegar a R$ 15 mil. É uma das formas mais facilitadas de se conseguir um crédito.

Todo empresário quer ver o negócio crescer e prosperar e, para isso, muitas vezes, é essencial buscar linhas de crédito para investir na empresa e dar a ela oportunidade de crescer e se destacar no mercado.

Se você quer crescer, não deixe de acessar o artigo que auxiliará você na gestão da sua empresa por meio de ferramentas de fácil utilização. Não se esqueça de compartilhar comigo a sua opinião sobre este post! Se conhecer outras linhas de crédito, me conta que eu também quero conhecer!

Read More...

#ClicoResponde

Retorno do investimento: conheça o indicador que te ensina a medir!

Uma das principais preocupações quando se abre um negócio é saber quando que ele vai cobrir os gastos de seu investimento inicial e passar a te dar lucro. Esse fator, muitas vezes, acaba sendo até o motivo de muitas pessoas não se arriscarem a empreender por não conhecer métodos que contribuam para calcular quando virá o retorno do investimento realizado.

Pensando em contribuir para minimizar essa inquietação, encorajar os que ainda não se aventuraram no mundo do empreendedorismo e auxiliar os que já estão nessa jornada, eu separei algumas informações preciosas que vão colaborar para que você consiga calcular seu payback. Confira!

O que é payback?

A definição deste termo corresponde ao cálculo do tempo que uma empresa ou projeto necessita para retornar ao investidor o capital inicial que foi investido. Há dois tipos de payback, o simples e o descontado.

O simples considera o valor que foi investido e as entradas no caixa. Quando o que entrar foi equivalente ou maior do que foi investido, é possível encontrar o tempo que demorou para isso acontecer.

Já o descontado considera uma taxa de juros, pois não consideram que uma quantia investida há 3 anos pode ser considerada exatamente a mesma alguns anos depois. Por isso, pode haver uma diferença dependendo de qual cálculo optar. Você pode calcular online.

Quais as vantagens do método?

O cálculo para se chegar no resultado é de fácil compreensão, o que facilita para o empreendedor. Com o método, é capaz de ter uma ideia do grau de liquidez da empresa e de alguns riscos do projeto.

É possível também utilizar o método como forma para ter mais segurança do rumo dos negócios da empresa, além de adequar possíveis estratégias quando concluir que os riscos são grandes.

Quais as desvantagens do método?

O payback não considera os fluxos de caixa após ter recuperado o capital inicial investido, além de poder ser aplicado somente a fluxos de caixa convencional, ou seja, não pode existir no fluxo mais de uma mudança de sinal.

Qual a diferença entre ROI e payback?

O ROI (Return on Investment ou Retorno Sobre Investimento, em português) é uma métrica bastante conhecida no mundo dos negócios por poder estar vinculada à diversas áreas presentes na empresa. É bastante utilizada em estratégias de marketing e comunicação digital, principalmente por serem estratégias que alguns acabam definindo por intangíveis.

Essa métrica pode ser utilizada permanentemente acompanhando diversas estratégias adotada pela empresa em diferentes fases do negócio, enquanto que o payback está bastante vinculado com o investimento inicial utilizado.

Depois dessas explicações, você tem conteúdo suficiente para planejar e dar passos mais seguros rumo ao sucesso do seu negócio. Fazer estes cálculos permite que você tenha em mente (e no papel) prazos e datas importantes até mesmo para programar novos investimentos e gerar inovação no produto/serviço que oferece.

Lembre-se sempre que é importante sempre estar atento aos detalhes da rotina do seu empreendimento. Pensando nisso, separei para você um outro texto que fiz tirando algumas dúvidas de como gerir melhor as finanças do seu negócio. Fique de olho nas novidades no blog, a dinamicidade do mundo do empreendedorismo requer atualizações permanentes para sempre estar em busca de melhorias!

Read More...

Empreendedorismo

Dicas simples para montar um Plano de Negócios

Quando eu era pequeno, lembro que minha avó dizia que meu avô era do tipo que “soltava os cachorros e depois tentava colocar a coleira”. Eu nunca entendi isso muito bem, até porque eles tinham gatos em casa, e nenhum cão.

Depois que virei empreendedor, porém, entendi exatamente o que este dito popular significava — e notei como ele era parecido com o que todos nós que abrimos o próprio negócio fazemos, mesmo sem perceber. “Soltar os cachorros e depois prender” significa ir fazendo as coisas e depois tentar remediar, no caso de haver algum problema. É não perder a oportunidade e ir rápido em direção ao objetivo.

Apesar de o perfil empreendedor ser marcado também pela ousadia, hoje em dia a concorrência é muito grande e o “colocar a coleira depois”, ou remediar um problema só quando ele aparecer pode ser fatal para a empresa. Não podemos nos esquecer de que o índice de mortalidade precoce das empresas brasileiras — aquelas que fecham as portas no primeiro ano de vida — gira em torno de 16%. Isso é muita coisa!

Existe um aliado muito interessante neste processo: o Plano de Negócios. Nele, basicamente, você insere as informações de onde sua companhia está, aonde você quer que ela chegue e como será o trabalho para obter este resultado. É o norte de todas as suas atividades.

Já fiz um post explicando como tirar a empresa do papel, você se lembra? O de hoje, então, é um passo anterior: como colocar a sua empresa no papel. No Plano de Negócios deve estar contido tudo o que for referente à sua companhia. Veja mais sobre o assunto no artigo de hoje e entenda como montar o seu Plano de Negócios!

O que é o negócio?

Responda a algumas questões básicas sobre o ramo de negócios de sua empresa:

  • Qual foi a oportunidade de mercado que você visualizou?
  • Quais dores de seu público-alvo serão atendidas?
  • Qual é o segmento de atuação e diferenciais de sua empresa?

Para exemplificar, cito a definição de uma amiga que pretendia abrir uma loja de lingerie. Ela definiu assim o seu negócio: “Loja varejista de lingerie especializada em tamanhos grandes, com atendimento focado em mulheres de 30 a 50 anos que querem valorizar seu corpo sem necessariamente destacar sua silhueta ou suas curvas”. Ficou bem claro, não é mesmo?

Qual é o montante de capital a ser investido?

O montante de capital a ser investido é o resultado de dois cálculos. O primeiro é o dos valores utilizados para o início das atividades da empresa. Nele, é importante listar todos os itens que serão comprados ou os valores utilizados antes mesmo de seu negócio começar a atender ao público.

O segundo cálculo é o do capital de giro para manter sua empresa funcionando entre 6 meses e 1 ano, mesmo que ela não tenha um bom faturamento no início de sua existência.

Muitos empreendedores conseguem pensar no primeiro cálculo e iniciam suas atividades sem prever que os primeiros meses são os mais difíceis para a empresa, pois ela não tem clientes fidelizados, não é conhecida no mercado e os gastos com publicidade e promoções são maiores que o retorno trazido.

Um exemplo disso é o caso de três amigos meus que investiram mais de R$ 200 mil em um negócio inovador de vassouras ecológicas que custavam 20% a mais que as tradicionais, mas que duravam até 3 vezes mais. Por falta de capital de giro para a manutenção da empresa, precisaram encerrar as operações no 4º mês de existência da empresa.

Detalhe: venderam o maquinário pela metade do preço para um empresário que, 6 meses depois, tinha recuperado 200% do valor pago para eles. Ou seja, o negócio tinha grande chance de dar certo, mas eles não planejaram corretamente o montante de capital a ser investido.

Quais são os principais produtos e/ou serviços?

Quase todos os empreendedores começam seu plano de negócio por aqui, o que é um erro! Sua empresa, seus produtos ou serviços existem para suprir uma necessidade, solucionar um problema ou alavancar uma oportunidade que as pessoas vislumbram. Nenhum produto tem um fim em si mesmo.

Em outras palavras, ninguém compra uma roupa pelo simples fato de ela ser bonita, mas sua motivação pode ser o status social que a roupa traz, a necessidade de se vestir, uma questão de estilo de vida — como é o caso das roupas esportivas — ou por entenderem que o preço está abaixo do que seria justo para adquirir aquela roupa.

Então, antes de definir quais são os produtos ou serviços que sua empresa oferecerá, determine quais são as necessidades que eles atenderão e quais serão as motivações das pessoas para comprá-los.

Qual é o faturamento mensal estimado?

O faturamento é a soma total das vendas (quantidade de unidades vendidas multiplicada pelos valores dos produtos) que sua empresa realizará baseada no estudo de público-alvo que será atingido por ela.

No caso da minha amiga, sua loja ficava em um bairro de classe média, onde as estatísticas apontavam que a maioria da população eram mulheres de 30 a 50 anos que estavam com sobrepeso, ou seja, ela tinha um bom mercado para explorar.

Qual é o perfil dos principais clientes?

Esse é o principal item de sua pesquisa e dele derivam todos os outros. Se você não pesquisar bem as características do público-alvo, correrá sérios riscos de oferecer o produto errado, para as pessoas que não se interessam por ele.

Aqui é importante considerar a fixa etária do público-alvo, o grau de instrução, a religião, os hábitos em geral, a classe social, a renda mensal média, os lugares que ele frequenta, os gostos artísticos (muito importante saber disso para determinar a identidade visual de sua empresa, loja e embalagens de produtos), entre outros fatores.

Onde será localizada a empresa?

Do estudo do público-alvo nasce a melhor localização de sua empresa, pois seus hábitos podem indicar que sua empresa deveria ficar próxima a um local que as pessoas já frequentam, assim diminuiria a necessidade de sua divulgação. Por exemplo: uma loja de artigos religiosos deveria ficar próxima ao templo que as pessoas daquela religião frequentam, você não acha?

Quanto é o lucro estimado?

Descontadas todas as despesas com a manutenção do negócio (aluguel, água, luz, telefone, funcionários, impostos, reposição de estoque, entre outros), quanto de dinheiro sobre no final do mês? Este é o lucro estimado de sua futura empresa.

Em quanto tempo espera que o capital investido retorne?

O retorno sobre o investimento (ROI) é o indicador que mede a quantidade de tempo necessária para que o lucro da empresa possa cobrir o investimento inicial. Ou seja, durante algum tempo, o empresário estará trabalhando para recuperar o capital que investiu ao abrir o negócio.

No caso da fábrica de vassouras ecológicas, esse seria o momento em que os lucros já cobririam todos os valores usados na operação cotidiana da loja e ainda devolveriam os R$ 200 mil usados para a abertura da empresa.

É importante perceber que, até este momento, o empreendedor está com uma relação deficitária com sua empresa, pois ela não aumentou suas riquezas de forma real, somente a partir do momento que ela retorna o valor que foi investido é que o empresário começa a ter lucros. Por isso, torna-se indispensável a mudança de paradigma, isto é, um planejamento mais eficaz, focado em grandes resultados. É isso que eu vou mostrar a seguir. Acompanhe.

Conheça o Plano de Negócios

Este é o Plano de Negócios básico, mas existem ainda outros pontos muito importantes:

  • Quantidade de sócios e descritivos das atividades e atribuições de cada um deles;
  • Missão da empresa (se você tem uma loja de doces, a missão será, por exemplo, satisfazer o cliente através da produção de receitas saborosas, em um ambiente limpo e agradável);
  • Plano de marketing: como você vai fazer para que sua empresa seja conhecida (divulgação de anúncios, comerciais, etc.);
  • Regime tributário: qual será o regime tributário de sua empresa? Para isso, você precisará da ajuda de um contador;
  • Fonte de recursos dos investimentos;
  • Estudo de concorrentes: onde estão os principais concorrentes? Como eles cobram e qual é o diferencial do negócio deles?
  • Preço dos produtos: como ele será calculado, levando em consideração custos operacionais e margem de lucro?
  • Número de funcionários necessários para cumprir as funções do processo operacional total.

Estes são apenas alguns pontos dos processos. A base de tudo é entender qual a viabilidade financeira de sua empresa e como você vai fazer para chegar ao tão sonhado empreendimento rentável e equilibrado.

Flexibilidade na montagem do Plano de Negócios

Talvez você seja muito orgulhoso quando investe no seu próprio negócio, não ouvindo muito o que o mercado, aquela pesquisa, os clientes e os resultados estão lhe dizendo — ou, quer dizer, gritando a você. O que aprendi muito nessa vida é que ser flexível é uma das “ferramentas” — ou se você quiser chamar de qualidade — mais promissoras que temos em nossa personalidade.

O motivo é quase que banal: quando temos a capacidade de escutar ou de enxergar o que está à nossa frente, sabendo analisar o que está dando errado e o que está dando certo, conseguimos nos adaptar aos ambientes e realizar mudanças que visem o lucro e o sucesso do empreendimento.

Mesmo que você tenha muito apreço por determinada ideia, na hora de montar o plano de negócios você precisa estar preparado para ser flexível, porque irá levantar dados, tabelas e relatórios que irão dizer, por meio de estatísticas e pesquisas, se o projeto é viável ou não. É nessa hora que a flexibilidade ajuda, porque você pode encontrar uma forma de se adequar diante da dificuldade.

Acompanhamento do Plano de Negócios

Como estamos vendo, sem dúvida, montar um plano de negócios é um processo difícil e cheio de pormenores. Contudo, há um detalhe ao qual poucos empreendedores ficam atentos: a necessidade não apenas de implementar um Plano de Negócios, mas também de acompanhá-lo para verificar o andamento das mais variadas etapas.

Esse esquecimento se deve a diversos fatores como, por exemplo, a ansiedade de tirar a empresa do papel ou o estresse com outros assuntos. O fato é o seguinte: ao acompanhar todo o plano, a chance de errar se torna inexistente, uma vez que você saberá em que arriscar, o quanto investir e estimar se aquela estratégia dará certo em determinado momento.

Coloque o plano de negócios em prática e lembre-se de que sempre será necessário ficar de olho em qualquer mudança brusca nos resultados ou insatisfação dos clientes, para não perder dinheiro e não ter que arcar com as consequências mais sérias, como dívidas e reclamações. Por isso, observe os resultados e mantenha um monitoramento mais próximo e constante.

Lide com imprevistos

Em um plano de negócios, o que não falta são os imprevistos. Afinal, como lidar com eles? Então, venho aqui para lhes dizer que os acasos são o que deixam o sucesso ainda mais instigante.

Vocês podem até fazer uma analogia com a palavra desafio. Os imprevistos chegam para testar se você é capaz ou não de ultrapassar um obstáculo! E, para isso, você pode muito bem se apoiar ao marketing para dar a volta por cima e criar manobras rumo ao sucesso.

E então? O que você achou dessas dicas simples para montar um Plano de Negócios eficiente? Bem, agora que você já sabe como montar um, quem sabe você não vira um dos empreendedores que ficam milionários com menos de 30 anos? Mãos à obra!

Read More...

Empreendedorismo

Inspire-se: 4 franquias baratas de sucesso

Se você caiu nessa página, provavelmente é alguém interessado em negócios ou já é um empreendedor. Deixa eu me apresentar: eu sou o Clico, seu melhor amigo na hora de falar de negócios! O que você me diz, está interessado nessa conversa? Se sim, ótimo.

Hoje eu vou falar sobre o mercado de franquias, que basicamente é a aquisição de um conceito ou imagem de uma marca já existente por meio do pagamento de uma certa quantia de dinheiro.

O Habib’s, por exemplo, tem muitas lojas franqueadas. Já imaginou traçar esse caminho? Para começar, é preciso muita disciplina e dedicação, mas, tenha certeza, com um trabalho bem-feito, ótimos resultados podem ser atingidos. Vamos lá?

O mercado de franquias no Brasil

É importante que você tenha os pés no chão. Eu citei o Habib’s como exemplo justamente por motivar empreendedores de todos os níveis, já que, apesar do alto investimento inicial para se obter uma franquia, a rede é um das que mais fatura no Brasil. Já pensou chegar a esse nível?

Pois então, é necessário dar o primeiro passo. O bom disso é que no território brasileiro existem diversas franquias baratas (de no máximo R$20.000) que dão um ótimo retorno — obviamente se você seguir à risca a gestão da empresa e atentar-se à decisões tomadas. O melhor: dá pra entrar nesse mercado sem sair de casa.

Por fim, atente-se e pesquise sobre a importante lei de franquia.

Vantagens de se tornar um franqueado

Mais do que uma forma de entrar com força no mercado, se tronar um franqueado tem alguns benefícios. São eles:

Reputação já estabelecida

O que é mais fácil: abrir uma empresa do zero ou dar continuidade ao legado de um estabelecimento já existente? A segunda opção, não é? Então, as franquias oferecem essa vantagem, pelo fato de as pessoas já terem tido contato anteriormente com o seu estabelecimento.

Menor risco de investimento

Como franquias são basicamente marcas já consagradas no mercado, é menos arriscado investir nelas, uma vez que estas possuem uma aceitação prévia por parte do público. Lembre-se: é um grande feito começar a empreender com uma imagem sólida.

Custos de instalação previamente planejados

Como a empresa que cede franquias já atua há mais tempo, ela tem ciência de exatamente todos os custos e lucros relativos à sua atuação. Isso pode ser um grande alento para o empreendedor.

Veja a matéria completa aqui.

Franquias baratas de sucesso

Agora, vou apresentar a você algumas franquias que estão disponíveis hoje no mercado e que, na maioria dos casos, lucram o suficiente para serem bem-sucedidas e representativas no mercado. Confira!

AcquaZero

Aproveitando a valorização e disseminação de um comportamento mais sustentável e ecofriendly, essa franquia presta um serviço de lavagem ecológica e estética de veículos. São necessários R$10.000 iniciais e o prazo de retorno do capital investido é de 12 a 24 meses.

Amigo computador

Área muito valorizada nos dias de hoje, a informática é o ramo de mercado com o qual essa empresa trabalha. A Amigo computador fornece a gestão de TI para empresas de pequeno a médio porte, fator consideravelmente importante para a organização de qualquer estabelecimento prestador de serviços. A taxa de franquia é de R$10.000 e os royalties de um salário mínimo por mês. O retorno do capital investido se dá entre seis e oito meses.

Auto Spa Express

Seguindo a mesma tendência da AcquaZero, a Auto Spa Express é especializada em lavagem ecológica de veículos. Não há taxa de franquia e o investimento inicial é de R$9.900. Uma boa opção que alia sustentabilidade ao mercado.

Carrinho Chopp Brahma

A marca dispõe aos empreendedores e investidores a opção de adquirir no mínimo cinco carrinhos ao preço de 15 mil reais, com a taxa de franquia sendo R$1 mil para cada carrinho. Para reaver o capital investido, são necessários dez meses.

Como eu te disse, o que não faltam são opções de investimento e empreendimento, além de várias marcas disponíveis e um mercado a ser explorado. Cabe a você, após muito refletir, tomar a decisão que julga correta. Mas não se esqueça, o Clico estará aqui sempre para te ajudar. Curta nossa página no Facebook e fique por dentro de mais dicas legais como essa!

Read More...

Empreendedorismo

Como ter um bom controle de vendas?

O que todos os empreendedores querem — e eu não sou exceção! — é alcançar o melhor desempenho possível dos negócios que administram. Maximizar o desenvolvimento de cada setor resulta em desenvolvimento para a empresa, mas voltar um olhar diferenciado para o setor de vendas é uma conduta capaz de jogar os rendimentos lá em cima. E é aí que entra o controle de vendas: adotá-lo fará com que sua empresa fique ainda mais competitiva!  Veja no post de hoje como isso é possível!

Trabalhe com relatórios

Relatórios de desempenho permitem uma ampla visão da performance de vendas de uma empresa. Para ter controle efetivo das vendas, trabalhe com relatórios de cada um dos vendedores e da equipe como um todo. Assim será possível associar o volume de vendas ao trabalho de cada um e identificar quando alguém não estiver entregando os resultados desejados.

Ajuste e incentive sua equipe de vendas

Para formar uma equipe de vendas e vê-la progredir, é fundamental criar um cenário no qual os membros realmente trabalhem em equipe. Também desencoraje ações antiéticas que possam surgir entre seus vendedores; elas são percebidas e mal vistas pelo cliente, já que o vendedor representa a empresa e reflete suas práticas.

Incentivar o vendedor, estabelecer comissões atrativas sempre atreladas ao atingimento de metas e valorizar seus esforços são maneiras saudáveis de obter bons resultados para a empresa.

Controle de vendas: fundamental para identificar em quem investir

Essa é clássica: você ver seu vendedor perder um tempão com um cliente que regateia tanto a ponto de não compensar vender a ele. Isso é muito ruim, pois enquanto ele está às voltas com um cliente que dará pouquíssimo ou nenhum retorno à empresa, há muito outros clientes que poderiam estar sendo trabalhados de forma a render bons lucros.

Por isso a importância de manter um controle de vendas eficiente: ele possibilitará a você investir nas vendas que realmente dão lucro e enxergar com mais clareza as que não dão.

Gerenciamento de arquivos: uso de sistemas informatizados

Colocar mais tecnologia no dia a dia da sua empresa fará muito bem a ela, já que o tempo antes despendido em anotações e na procura por elas passará a ser usado com as verdadeiras prioridades: vender mais e alavancar os negócios.

Há, no mercado, aplicativos para gestão de vendas e clientes com excelente custo-benefício. Pense em adotar algum para o seu negócio: são ferramentas práticas e seguras para controlar as vendas, coordenar equipes e alcançar os resultados desejados.

E assim, amigo empresário, mais um desafio vai sendo vencido: o do controle de vendas. Se realizado com pulso firme, e baseado em condutas eficazes como as que descrevi aqui neste post, ele será um aliado do seu negócio —  estrutura que precisa funcionar corretamente em todos os aspectos, sendo o financeiro um dos principais deles!

E aí, gostou das minhas dicas de hoje? Então curta a página do Vouclicar.com no facebook e fique sempre por dentro de todas as novidades aqui do nosso blog!

Read More...