Empreendedorismo

Planejamento estratégico: 4 formas de empreender em 2017

Toda empresa se esforça para fazer algo único, como resolver um problema ou atender uma nova demanda que está à frente do seu tempo, no entanto, os casos de sucesso são para poucos que conseguem aliar a criatividade ao planejamento estratégico.

Nesse sentido, espera-se que o ano de 2017 promova um clima favorável para novas oportunidades em muitos setores ao redor do mundo, o que não será diferente no Brasil. Com o grande aumento da população, há uma demanda cada vez maior por tecnologia, alimentação saudável, moda e várias outras tendências para explorar.

É justamente por essa razão que eu trouxe para vocês 5 dicas para empreender de forma inovadora e faturar bastante no próximo ano. Ah, e não importa se você já tem uma empresa e ou se a intenção é começar com um novo projeto. Venha se inspirar e aprender um pouco mais!

1. Negócios digitais

Esse é o mercado do momento, e basicamente qualquer tipo de profissional pode encontrar uma oportunidade para estabelecer um negócio digital com base no que faz de melhor. Lembrando que nem sempre é preciso investir uma fortuna para começar, já que o que mais importa aqui é a visão empreendedora.

Confira as duas principais tendências para o próximo ano:

E-commerce

Segundo uma pesquisa elaborada pelo portal Ebit, que estuda os índices das vendas online no Brasil, só o primeiro semestre de 2016 movimentou cerca de R$ 20 bilhões, um aumento de 5,2% em relação ao ano anterior. E os números são ainda maiores para 2017.

O e-commerce é também uma ideia interessante para quem quer expandir as vendas e oferecer os produtos e serviços da loja física nessa plataforma digital. A legislação é simplificada e não há barreiras para alcançar novos públicos nesse mercado promissor.

Consultoria online

Um dos principais benefícios que a tecnologia trouxe para profissionais especializados. A consultoria virtual pode funcionar como modelo home office ou com pequenas equipes, onde o importante é garantir a qualidade e transparência dos serviços. É uma ótima oportunidade para quem tem qualificação, mas não quer investir muito dinheiro.

2. Franquias

Vocês já leram meu artigo sobre as fases para aprender a lidar se escolher abrir uma franquia? Se a sua ideia é seguir esse caminho, não deixe de conferir, eu tenho muitas dicas interessantes para compartilhar lá!

Mas não pare por aqui, você sabe o que o ano de 2017 vai trazer para agregar valor no segmento de franchising? Veja o que encontrei em minhas pesquisas:

Quiosques

Com possibilidade de trabalhar em grandes marcas, mas em um modelo de negócios mais enxuto e barato, os quiosques são uma ótima oportunidade para quem quer se tornar um franqueado de sucesso. São diversas opções: beleza, artigos esportivos, alimentação ou bebidas.

Tudo depende onde você prefere atuar, mas em geral, essa estrutura costuma ser um ótimo investimento para empreendedores que querem diversificar a atividade. Além de tudo, são bem lucrativos e é possível contar com o suporte da franqueadora.

Serviços

Não se engane: abrir uma franquia não é algo exclusivo para quem quer vender produtos. Se você é especialista em alguma área, mas não tem prática em elaborar um plano de negócios, essa pode ser a oportunidade que faltava. Medicina, TI e gestão financeira contam com boas projeções para 2017.

3. Alimentação

Esse setor apresenta resultados excelentes para quem pretende abrir um novo negócio. Veja o que os especialistas recomendam para o empreendedorismo no setor:

Comida saudável

Não só no Brasil, mas em todo mundo, a alimentação saudável é responsável por movimentar bilhões, além de ser um mercado cheio de possibilidades. Onde temos cada vez menos tempo, achar uma solução para atender um público específico é o que pode trazer mais rentabilidade.

Um grande exemplo foi o da empresa Uuulalá, projeto de um grupo de empreendedoras em São Paulo para entregar sucos saudáveis de forma sustentável. A ideia foi criativa e ainda pouco explorada na cidade, onde um planejamento estratégico se fez presente para alcançar a estimativa de lucros na casa dos R$4 milhões no ano passado. Não é um bom negócio?

Food Trucks

Estrutura simples e inovadora, capaz de entregar produtos frescos e com qualidade artesanal. A versatilidade é um ponto forte, impulsionando esse novo modelo como uma grande tendência para quem deseja investir em alimentação nos próximos anos.

São diversos layouts de apresentação, onde o que importa é a criatividade e comida boa, já que recebem uma excelente aprovação do público. A crescente demanda já fez com que várias cidades criassem encontros gastronômicos de restaurantes móveis.

4. Investir em aplicativos e softwares

Mesmo com as dicas anteriores, se você já possui uma empresa e quer melhorar o desempenho da atividade, a dica que deixo é aplicar os recursos em capacitação e tecnologia para padronizar a produção e automatizar os processos de gestão.

Confira onde investir para trazer benefícios em seu planejamento estratégico durante o ano de 2017:

  • Aplicativos de gestão: praticidade e melhora no desempenho do negócio.
  • Cursos de administração: personalizar sua empresa e acompanhar o mercado.
  • Antivírus: proteção extra para dados e e-mail.
  • Computação na nuvem: redução de custos e mobilidade para seu gerenciamento.

É importante conhecer bem o que você pretende investir, portanto, buscar aplicativos que podem ser testados antes da compra, já que isso é um grande diferencial. Para entender melhor esse tema, recomendo que você leia meu artigo sobre o que é um sistema de gestão para entender melhor como ele vai facilitar o trabalho na sua empresa.

5. Atenção às tendências e novos negócios

A melhor forma de escolher o investimento certo é acompanhar como o mercado movimenta e buscar soluções inteligentes para os setores que ainda carecem de um serviço de qualidade. Lembre-se: o conhecimento e a vontade de crescer são seus principais aliados em uma jornada empreendedora, sendo assim, fique por dentro das novidades e técnicas para seguir na direção correta.

Bom, se você chegou até o fim desse post, isso significa que você tem determinação e gosta de pesquisar bastante antes de colocar em prática seu planejamento estratégico para 2017. Não perca nunca o foco e lembre-se de que pode sempre voltar aqui para aprender um pouco mais.

E então, gostou dessas dicas? Não esqueça de compartilhar nas redes sociais, quem sabe alguém da sua rede quer embarcar no empreendedorismo e virar seu sócio? Espero você aqui nos próximos artigos!

Read More...

Empreendedorismo, Produtos

Como definir os produtos do e-commerce

Ninguém mais discute sobre as vantagens de se vender ou comprar em lojas virtuais. O consumidor tem criado novos hábitos de compra, o que tem favorecido o surgimento de novos sites de compra. Além da praticidade, conforto e rapidez nas compras, o consumidor também busca diversão. Por isso o empreendedor deve ficar atento a esse novo perfil do cliente virtual se quiser que seu e-commerce seja visto nesse mar da internet.

Outro cuidado que todo novo empreendedor deve ter é com relação a gestão da empresa. A administração do e-commerce deve ser a mesma que uma loja física. Tem que haver contabilidade, metas, conhecimento de mercado, logística, organização, parcerias e produtos de qualidade. Por falar em produtos, é bom deixar claro que o visual do seu e-commerce é a vitrine da loja física.

Pensou que era moleza ter uma loja virtual? Para te deixar mais tranquilo, vou te dar algumas dicas sobre como definir seus produtos do e-commerce e lucrar com o comércio eletrônico. Confira!

Tenha o produto carro-chefe

Uma ótima estratégia de vendas é você definir um produto para que ele seja seu carro-chefe e assim puxar as vendas de outras mercadorias. É neste produto escolhido que você deve investir sua energia para fazer o e-mail marketing, campanhas de anúncios, descrição, fotos, investir em estoque, etc.

Por que não fazer com 5, 10 ou 20 produtos? Porque você irá gastar 5, 10 ou 20 vezes mais tempo para fazer essa preparação para a venda do produto. Além do mais, terá que ter mais capital para adquiri-los e mais espaço para estocar. Vá com calma, rapidamente você terá mais produtos a oferecer.

Preocupe-se com a lucratividade

Os custos operacionais de uma loja virtual são bem reduzidos se comparados com a loja física, mas isso não quer dizer que eles não existem. Analise qual será a margem de lucro de cada produto, sem se esquecer de embutir os impostos, custo da embalagem, taxa de parcelamento do cartão e transporte.

Tenha personalidade e mostre seu diferencial

Assim como nas lojas físicas, não é só de preço que se vive o mercado. A briga por preço você deve deixar para as grandes marcas de e-commerce. Para ser competitivo, mostre aos consumidores novidades, tenha atendimento diferenciado, na forma de se relacionar com o cliente ou oferecendo produtos de qualidade.

Seja especialista no nicho de mercado que escolheu

Mostre que se o cliente pensou em “bicicleta”, por exemplo, no seu site ele poderá conversar com um “especialista ex-atleta” que sabe tudo sobre o assunto e assim irá orientá-lo para comprar de acordo com sua necessidade. Seu site ganhará muito mais credibilidade e confiança a partir do momento em que seus clientes percebem que seu site é bom naquilo que se propôs a fazer.

Comece com produtos leves e pequenos

Para início de experiência no e-commerce, esta dica é valiosa. O produto tem que ter uma logística fácil, ter fácil manuseio, não ocupar muito espaço de seu estoque, possuir uma embalagem fácil e contar com a facilidade na hora de transportar. Produtos pequenos e leves têm o frete mais barato e com isso você se torna mais competitivo.

Saiba sobre a concorrência

Antes de começar o negócio, pesquise o mercado. Verifique se o ramo de atividade não está saturado e se você cabe nele. Seu poder de barganha ainda é pequeno, mas seu preço não pode ser tão diferente dos outros sites, afinal, o cliente pode sair da sua loja virtual em um clique.

Não se desespere para implantar todas essas dicas de uma só vez no seu e-commerce, algumas dicas requerem mais tempo que as outras para serem desenvolvidas. Mas pode ter certeza que assim que implantadas você verá o retorno em forma de vendas no seu site. Como a propaganda é a alma do negocio, aprenda também algumas dicas para anunciar seu site no Google e assim melhorar a visibilidade do seu site!

E então? Está pronto para encarar os desafios da era digital e alcançar um novo patamar nas vendas? Se tiver alguma duvida, deixe seu comentário: vou adorar ajudar!

Read More...

Comunicação

Tudo sobre mercado digital – Vouclicar.com na feira eShow Brasil 2015

Evento acontece nos dias 23 e 24 de Junho, em São Paulo.

Pessoal, o Vouclicar.com participará da feira que acontece no pavilhão Transamérica Expo Center. A empresa será representada no eShow pelo diretor de novos negócios Leo Zysman, que participará de um fórum com o tema “Internacionalização do Ecommerce”.

Junto com outros três palestrantes, Fabrizzio Topper – Maruxo & Topper, Marcio Cots – Cots Advogados e Pedro Guasti – E-bit, analisará assuntos sobre o mercado digital, como sua complexidade, como funciona o sistema fiscal brasileiro, qual a tecnologia mais adequada para um tipo específico de operação, modelo organizacional e de governança, e muito mais.

Serão passadas muitas informações importantes para que você transforme seu pequeno negócio em sucesso e conquiste o mercado.

O fórum começa às 15hs, do dia 24, no auditório 1 VIP (aberto apenas para credencial VIP).

Sobre o eShow

A Feira Digital Internacional eShow 2015 é a maior feira do mercado digital do Brasil, com foco nos ramos e-commerce, marketing digital, social media, Internet of Things, mobile, hosting e cloud computing.

Além de exposições em stands, o evento conta com 180 conferências realizadas nos 4 auditórios espalhados no pavilhão Transamérica Expo center.

Quando? 23 e 24 de Junho de 2015, das 9h às 19h.

Onde? Transamérica Expo Center.

Entrada geral: R$ 50,00 – áreas de exposição + 180 conferências.

Entrada VIP: R$ 650,00 – áreas de exposição + 180 conferências + Auditório 1 VIP – Eawards Party

 

A gente se vê lá!

Read More...

Empresário e Pessoa física

5 dicas para escolher uma plataforma online campeã para seu e-commerce

Escolher a melhor plataforma tem impactos diretos no sucesso de um e-commerce. A questão é que cada empreendimento virtual possui um tamanho, um fim e necessidades próprias. Por esta razão, o empreendedor deve ter cuidado em escolher a sua plataforma, dando atenção às características do seu negócio e funcionalidades da ferramenta. Pretende abrir um negócio na internet? Tem ideia de qual é a plataforma mais indicada para o seu site? Acompanhe minhas dicas de hoje e faça a melhor escolha!

Valor mensal

Trata-se de um ponto importantíssimo a ser levado em consideração no ato da escolha, pois é algo que reflete de forma direta na gestão financeira do negócio. São inúmeras as opções no mercado, tanto gratuitas quanto pagas. O que tem que ser ressaltado, é que nem sempre o melhor para o seu empreendimento é a opção mais barata. Já ouvi muitos casos que não deram muito certo, em que o barato acabou saindo caro em função dos serviços da plataforma não acompanharem o tamanho do negócio.

Avalie o custo-benefício, levando em consideração fatores como funcionalidade, suporte, testemunhos dos clientes, etc.

Customização

Quanto mais sua plataforma ficar com a cara do seu negócio, melhor ela será. Em uma loja no shopping, por exemplo, você pode escolher como será o mostruário, a fachada, as cores que darão a identidade do ponto comercial, enfim, todas as características que permitem dar identidade e personalidade ao empreendimento. Nas lojas virtuais, o mesmo princípio deve ser seguido, e o ideal é que a plataforma permita a edição das informações da forma que o empreendedor desejar. O oferecimento de templates pré-fabricados facilita muito o trabalho, assim como o limita. Lembre-se disso!

Recursos

Os recursos e as funcionalidades são as ferramentas que a plataforma oferece para que o gestor do site possa trabalhar. Os exemplos clássicos são as listas de desejos, carrinhos de compra, controle financeiro e gestão de estoques, recomendação da loja, comparação de preços, entre outros. Avalie tudo aquilo que a plataforma proporciona, de modo a facilitar a vida do gestor, assim como para cativar o cliente.

Integração

Uma questão muitas vezes deixada de lado, mas de muita importância, é o nível de integração da plataforma. O que deve ser avaliado nesse aspecto é se a plataforma possui integração com serviços como os sistemas antifraude, Correios, serviços bancários, redes sociais, certificações de segurança, informações da transportadora, etc. Estes fatores fazem toda a diferença na reputação do seu negócio, assim como na qualidade dos serviços prestados.

Opções de pagamento

Com a competitividade cada dia mais acirrada no mundo virtual, um fator que faz toda a diferença no momento em que o cliente escolhe uma loja virtual para fazer as suas compras, são as formas de pagamento oferecidas. Desta forma, faça a opção por uma plataforma que tenha condições de oferecer as mais variadas opções de pagamento, como cartão de crédito, débito em conta, boleto, PayPal e similares, etc. Esta é uma questão de grande impacto no ticket médio do e-commerce e nas conversões.

Então, recapitulando: na hora de escolher uma plataforma campeã, as seguintes perguntas devem ser respondidas:

  • É possível personalizar a plataforma?
  • É uma interface simples?
  • É adequada para navegação em gadgets móveis?
  • São boas as ferramentas de gestão?
  • O visual atrai?
  • Qual é o seu nível de integração com serviços e mídias externas?
  • Seus planos de marketing serão atendidos com a escolha desta plataforma?
  • O suporte oferecido é satisfatório?
  • Funciona bem em todos os navegadores?
  • Possui formas de pagamento variadas?
  • As técnicas de SEO são aplicáveis nesta plataforma?
  • Outros gestores de e-commerce a recomendam?
  • Os recursos e funcionalidades lhe atendem?

Se as respostas foram todas positivas, você encontrou a plataforma de e-commerce ideal ao sua loja virtual! Agora que você já sabe tudo para escolher a plataforma online certa, aproveite os comentários e compartilhe as suas dúvidas e experiências. Converse comigo!

Read More...

Tecnologia

Quando 1 vale mais que 100 no seu e-commerce

Abrir um negócio não é fácil. O primeiro negócio, então, é ainda mais difícil.

As dificuldades para quem está começando são diversas: o tempo e a energia para se dedicar ao empreendimento, experiência em administrar um negócio, e também o dinheiro disponível para fazer a roda girar. Em um e-commerce, a escolha dos produtos a serem vendidos é uma etapa fundamental para que o empreendimento realize suas vendas ou faça parte da triste estatística, onde 70% das lojas virtuais realizam apenas dez (ou menos) pedidos por mês.

Mas como escolher o produto ideal para sua loja virtual? Essa pergunta não vale um milhão de dólares, mas pode garantir o sucesso da sua empresa. A resposta vem através da segmentação do mercado.

 

Um produto bem escolhido para ser o carro-chefe da sua empresa é essencial para quem está iniciando. Quem está abrindo uma micro ou pequena loja virtual, geralmente, busca contemplar em sua loja virtual um mix de produtos tão amplo quanto o de grandes empresas do ramo. Acontece que este empreendedor não possui o mesmo pessoal, energia e (principalmente) capital para bater uma grande empresa e, mesmo assim, insiste em parecer uma grande empresa. Vou dar então um conselho:

Não é feio, nem ruim, ser pequeno.

Quem está começando com uma loja virtual, precisa sempre desembolsar alguma grana. E quem é micro ou pequeno empreendedor, tem o orçamento contado e sabe que gastar e investir em algo é sempre “dolorido pro bolso”. Focar em um produto é uma vantagem para o iniciante, pois assim ele tem o poder de barganhar com o fornecedor, já que ele irá comprar em uma quantidade maior. Geralmente ele irá ouvir, e até mesmo aceitar a proposta, já que é muito mais fácil para o fornecedor entregar um pedido com, digamos, cem unidades do que com vinte.

Além disso, a energia gasta para cadastrar os produtos de forma correta é muito grande. Dou como exemplo um caso que já aconteceu comigo, há muito tempo atrás. Eu tive um e-commerce de roupas femininas, e trabalhava com diversos fornecedores e com um mix de produtos bem extenso. Acontece que uma loja de roupas femininas trabalha com coleções e, quando eu terminava de cadastrar bem uma coleção, já chegava outra e meu gasto de tempo naquela função nunca diminuía.

Para um produto vender bem em uma loja virtual, ele precisa cumprir um checklist composto de diversos detalhes, que fazem com que o comprador se interesse e não tenha nenhuma dúvida quanto à sua compra. Cadastrar um produto corretamente, conseguir boas fotos e uma descrição que vá além da oferecida pelo fornecedor, além de gravar vídeos com tutoriais ou dando dicas de uso, são importantes para que ocorra uma boa venda e a loja se destaque da concorrência. Agora, imagina fazer isso com cem produtos!

Trabalhar com apenas um produto também é muito mais fácil quando o assunto é armazenamento. Quando o mix é maior, variedade de tamanhos, volumes e cuidados na estocagem precisam de cuidado (e organização) redobrados.

Lembre-se sempre: se você está começando, cada minuto é muito importante para poder tocar o empreendimento em frente e fazê-lo crescer. Não tenha medo de começar com pouca coisa. Seja pequeno e sonhe grande!

Read More...

Conceito de varejo prevê que loja esteja disponível em todas as plataformas

Adoro quando nossos leitores estão superatualizados e fazem perguntas sobre assuntos fresquinhos. A Marta trouxe um questionamento muito pertinente hoje:

“O que é omni-channel?”

Marta, muito obrigado pela pergunta!

Omni-channel é um conceito de varejo que significa, literalmente, “todos os canais”. No caso, se refere à presença da loja em todos os meios: e-commerce em site e dispositivos móveis, comércio físico, propaganda na televisão, mailing impresso e digital etc.

A ideia vem de uma demanda do consumidor, que está cada vez mais exigente e conectado, comprando produtos no meio em que for mais conveniente. Ora por meio de um site, ora se interessa pelo produto que viu em uma postagem de rede social, ora usa um app no celular.

A consultoria International Data Corporation (IDC) previu em novembro passado que o investimento em políticas de omni-channel será uma das prioridades até 2018 para metade dos 250 maiores varejistas do mundo.

A prática é uma evolução da ideia de multi-channel, ou multicanais. Parece que os dois conceitos são iguais, não? Mas há uma diferença importante.

O omni-channel ideal prevê não só que a loja ofereça seu produto em todos os meios, mas que o consumidor nem perceba a diferença entre os canais, o que pode deixá-lo mais engajado. É o fim da fronteira entre o físico e o virtual.

Uma estratégia exige bastante investimento. Por exemplo, é necessário conhecer profundamente o comportamento dos consumidores em todas as plataformas, para saber em quais ter mais presença. Já os funcionários devem estar preparados para atender os clientes seja qual for a interface da loja. Também, é preciso adequar a mensagem de venda a cada meio (nisso o Marketing Digital pode ajudar, leia mais aqui).

Entendeu? Espero ter ajudado e, se ficou alguma dúvida, comente este post que responderemos no próximo #ClicoResponde.

Read More...