Empresário e Pessoa física

Você sabe quais os riscos de trabalhar sem um CNPJ?

Quais os riscos de trabalhar sem um CNPJ

Com o mundo cada vez mais dinâmico, é muito comum encontrar pessoas trabalhando por conta própria e conseguindo gerar rendimentos que as sustentem no longo prazo. A internet tornou isso ainda mais viável, pois diversas atividades foram criadas e sequer podiam ser imaginadas 10 anos atrás.

Para o profissional freelancer, que é o trabalhador avulso, sem registro e informal, que desempenha atividades sem registro na carteira de trabalho e sem CNPJ, o ambiente virtual é uma ótima fonte de trabalho. Trabalhar como freelancer permite mais flexibilidade, mas também tem seus riscos. Hoje eu vou te contar quais são os principais riscos enfrentados por profissionais que não têm um CNPJ!

Por que é importante ter um CNPJ atrelado ao meu trabalho?

Quando se trabalha formalizado, é possível realizar uma série de operações impossíveis para os trabalhadores informais. Por exemplo, é possível ser contratado por órgãos governamentais, por empresas privadas, realizar operações bancárias em nome da pessoa jurídica e emitir nota fiscal das operações realizadas.

Além disso, ter um CNPJ traz tranquilidade, pois, com o registro automático no INSS, o trabalhador formalizado faz jus aos benefícios de auxílio-doença, auxílio-maternidade, aposentadoria, dentre outros garantidos aos trabalhadores vinculados à previdência oficial.

Outra vantagem de se formalizar é ter a oportunidade de desvincular a sua vida profissional da vida pessoal. Se você toma um empréstimo como pessoa física, os juros são associados a você. Se você o fizer como pessoa jurídica, você poderá ter vários benefícios e incentivos, pois você é um empreendedor e pode até gerar empregos para outras pessoas.

Os bancos também entendem dessa forma e oferecem linhas de créditos com juros bem reduzidos para quem é microempreendedor individual (MEI). Você pode abrir conta corrente na modalidade pessoa jurídica e os seus clientes passarão a confiar mais no seu trabalho, pois se tratará de uma empresa estabelecida. Suas modalidades de recebimentos também serão ampliadas, aumentando o giro.

Evite problemas tributários e diminua sua tributação de pessoa física

Uma empresa faturando com vendas, financeiramente falando, é como um empregado recebendo seu salário: depois de determinado tempo, os recursos financeiros ficarão disponíveis para serem utilizados onde for mais conveniente.

No entanto, os regimes de tributação para pequenos negócios são bem mais amigáveis quando comparados aos regimes tributários para pessoas físicas, oferecendo uma série de isenções durante os primeiros anos de formalização, até que se alcance estrutura para poder arcar com mais tributos. O processo de formalização de um MEI também é extremamente fácil e rápido. Todo o processo é realizado via internet, até a obtenção do alvará e do CNPJ.

Já como pessoa física, as alíquotas de IRPF são elevadas, chegando a 27,5%, e fazem com que os recursos ingressantes das atividades como freelancer sejam drenados pelos tributos, inviabilizando a manutenção da atividade no longo prazo.

Quanto custa ser um MEI?

É muito fácil se manter em dia com os tributos de um MEI. Os gastos são de apenas 5% do salário-mínimo vigente mais R$5,00 para serviços ou R$1,00 para comércio ou indústria por mês. Isso dá direito a todos os benefícios ao trabalhador, além de enquadrá-lo na modalidade de pessoa jurídica.

O CNPJ pode ser a porta de entrada para o crescimento dos negócios de um trabalhador freelancer, e ele não precisa gastar muito dinheiro para se formalizar nem para manter a situação de pessoa jurídica (que possui valores bastante razoáveis). E você? Está interessado em se tornar um MEI? Clique aqui e veja como o processo é bem simples, mais do que você imagina!

You Might Also Like