Empreendedorismo

3 fases para você aprender a lidar se escolher abrir uma franquia

3 fases para você aprender a lidar se escolher abrir uma franquia

Deslumbramento, revolta e aceitação: cada uma das fases dura de seis meses a dois anos, diz ABF

Vocês se lembram que comentei da minha prima que deseja abrir uma franquia? Até criei o post “Dez questões a considerar antes de escolher uma franquia”, com base nas informações que ela levantou.

Particularmente, fiquei bem interessado na proposta. Como trabalho no ramo de serviços, considerei que o sistema de franquias pode ser um bom negócio complementar e pensei que, como alternativa, poderia começar a vender produtos de alguma marca que já seja consagrada.

Nos passeios pelo site da Associação Brasileira de Franchising achei um material que me abriu os olhos e que quero compartilhar com vocês. Segundo especialistas da entidade, existem três fases pelas quais todo o empreendedor passa, independentemente da rede que escolha. Em cada uma delas existem particularidades e ameaças que devem ser consideradas:

Deslumbramento

Nesta fase inicial, o franqueado “endeusa” a marca e corre sério risco de não identificar seus defeitos e fragilidades.

Complemento do Clico: pelo que andei pesquisando, tornar-se uma franquia é o mesmo que casar e é o mesmo que escolher os sócios. Esse é um passo muito importante e que deve ser dado com cautela. Por mais que eu queira escolher determinada marca, me comprometi, comigo mesmo, a buscar referências negativas sobre ela. Melhor entrar em um esquema já preparado para os desafios do que ser pego de surpresa depois da assinatura do contrato.

Revolta

Depois do deslumbramento inicial, o empreendedor começa a se sentir preso pelas regras e condutas da marca e questiona se deve continuar como um representante ou investir em seu próprio negócio, livre de qualquer sistema matriarcal.

Complemento do Clico: é possível mesmo atingir o público sozinho? A marca realmente não devolve nenhum valor? Redes criam políticas de conduta por diversos motivos, entre eles, a proteção contra erros que já foram cometidos e trouxeram uma lição com as experiências. Veja se o que te prende não é, na verdade, o que te protege. Avalie com cautela o rompimento da parceria, sem se deixar levar pela emoção ou ego.

Aceitação

Neste estágio pode se considerar que a maturidade no relacionamento foi atingida, já que o franqueado identifica a importância da rede à qual pertence e passa a atuar com real parceira junto à marca.

Complemento do Clico: aqui, passado todo o alvoroço, vale avaliar quais foram seus erros e acertos, bem como os erros e acertos do franqueador, no processo como um todo.

Interessante, não? O post ainda explica que cada fase dura de seis meses a dois anos – variando, claro, de pessoa para pessoa.

Você tem alguma história sobre isso, positiva ou negativa? Compartilhe com a gente comentando este post!

 

Tem uma pergunta? o #ClicoResponde

 

You Might Also Like