Empreendedorismo

De jornalista a empreendedora: conheça a história da Madalena Rodrigues, do Crepe au Chocolat

A jornalista que decidiu mudar de vida e empreender

especial mês da mulher março

Fazer a mesma coisa pelo resto da vida não estava nos planos de Madalena Rodrigues. Mãe de 3 filhos, separada, nada a intimidou quanto à iniciativa arriscada, após 17 anos exercendo apenas a profissão de jornalista, de não se conformar só com a estabilidade de um emprego fixo para se tornar dona do seu próprio negócio. Como ela própria parafraseou Fernando Pessoa, “eu tenho muitas almas”.

Chegou um momento em que o espírito empreendedor da Madalena se inquietou e a impediu de deixar os seus outros potenciais na gaveta. Foi aí que ela parou para pensar: “O que eu sei fazer?” e viu a oportunidade de vender as panquecas que costumava preparar (e sempre ser elogiada) para seus filhos e amigos nos fins de semana. Junto com isso, descobriu o crepe e deu vida à sua ideia: comprou uma chapa usada, levou pra casa, pegou uma receita e começou a testar. Os amigos e a família aprovaram e foi assim que ela apostou no Crepe Au Chocolat, em Brasília.

A cada desafio, uma injeção de ânimo

Durante a trajetória de Madalena, ela encontrou algumas dificuldades e uma delas foi a descrença das pessoas do seu antigo emprego. Questionaram: “Você é louca? Sair do jornal para abrir uma creperia?”. Mas enquanto criticavam, ela já estava providenciando a reforma do seu primeiro ponto de venda. Essa não foi a única situação chata pela qual a Madalena passou. A outra ainda foi preconceituosa, por ser mulher: certa vez, enquanto fazia compras dos ingredientes em um atacado para o seu negócio, estava em uma das filas preferenciais para empresários e ouviu do segurança que “deveria se retirar, porque aquela era uma fila só para empresários”.  Nada disso intimidou a empreendedora.

Visão empreendedora e atenção com o cliente

Além de se preocupar com toda a parte operacional, foi Madalena quem definiu o nome e a marca do seu próprio negócio, que “deveria ser algo que desse água na boca”, conta.  A marca permanece até hoje e completou 21 anos em 2013.

Ela também sempre apostou na qualidade do atendimento aos seus clientes. Por isso, desde o início, fez o cadastro de todos eles – o que foi bastante útil, porque 2 anos depois o dono do imóvel o quis de volta e ela precisou mudar a loja para outro lugar. Então ela mandou cartinhas (isso mesmo, naquele tempo não tinha e-mail) avisando sobre o novo endereço. A clientela fidelizada acompanhou a sua mudança.

Uma das primeiras, hoje é referência

Quando abriu o Crepe Au Chocolat, Madalena só tinha um concorrente na cidade. Logo conseguiu fidelizar vários clientes e, hoje, mesmo com mais de 30 creperias na cidade, se tornou referência para as novas que surgiram e continua conquistando mais clientes a cada dia. O sucesso foi tanto que os clientes da primeira loja, antigamente na Asa Norte, queriam que tivesse novamente uma filial por lá, e assim a Madalena fez. Além dessas duas, também tem Crepe Au Chocolat em Águas Claras. A creperia que começou com apenas 5 funcionários hoje conta com mais de 80, distribuídos entre as 3 lojas, mais de 50 opções de recheios de crepe (alguns deles sugeridos pelos próprios clientes) e é Top of Mind em Brasília por diversos anos consecutivos.

 

Tem uma pergunta? o #ClicoResponde

You Might Also Like