Tecnologia, Últimas

Como vai funcionar a Alphabet, nova empresa do Google?

Talvez o dia 10 de agosto tivesse passado como uma data normal do calendário se o mundo dos negócios não tivesse sido bombardeado pelo surgimento de Alphabet, uma holding que acolherá sobre os seus braços institucionais diversas empresas, entre elas o Google. Mas calma, espera aí. Então quer dizer que o Google foi comprado? O que vai acontecer com o Youtube? E os meus e-mails nos Gmail? Calma. Se você estiver pensando em alguma dessas questões, vou te explicar tudo o que você precisa saber sobre a Alphabet no texto de hoje. Confira!

Alphabet de A a Z

Apesar do choque inicial da notícia, a verdade é que pouca coisa muda com a alteração da ordem de diretorias (e de importância empresarial) do Google. Ao contrário do que acontece em casos de mudança de marca (rebrand) ou recolocação no mercado, esta mexida interna do gigante da web só veio para ajudar a empresa a ter um maior controle naquilo que ela faz melhor — os produtos para a internet —, deixando para a Alphabet o comando de outros interesses da marca, como suas vertentes de startups e tecnologia. Mas e como fica o Youtube, Gmail e o sistema e buscas?

Os produtos do Google

Sob o comando do indiano Sundar Pichai (que recebeu o cargo de CEO das mãos do ex-presidente da empresa, Larry Page — que agora cuidará apenas da Alphabet) o Google terá o controle de várias marcas conhecidas como seu o Google Maps, o Android, o Youtube, além de sua grade de aplicativos, seu motor de buscas e seu sistema de anúncios on-line. Ou seja: tudo aquilo que estamos acostumados a ver e usar costumeiramente da empresa vai continuar do jeitinho que está. A mudança maior vai para outro lado.

As outras empresas do Google/Alphabet

Longe dos holofotes também existiam outros nomes bilionários que funcionavam paralelamente ao Google e que agora, após da divisão das vertentes da empresa, ganharam mais liberdade. Entre eles estão:

Nest

Criada por Tony Fadell (um dos sujeitos responsáveis pelo iPod), a Nest é uma empresa voltada para o mundo da “internet das coisas”, ou seja: aparelhos do dia a dia que podem também interagir e transmitir dados para web. Porém, mesmo com o surgimento da Alphabet, nada muda no fronte e o comando da casa continua nas mãos de Fadell.

Calico

Em busca de entender porque envelhecemos, a Calico é uma empresa de pesquisa que tenta descobrir formas de retardar os efeitos da idade.

Ventures

Imagine ter uma startup catapultada com investimentos — e dicas — do Google? Pois é isso que a Venturesfaz. De olho nas melhores iniciativas de diversos ramos diferentes do mercado, a empresa já apoiou o surgimento de diversos nomes, entre eles o do Uber.

Agora fica a pergunta: o que muda no mundo dos negócios com tudo isso?

Para o mundo dos negócios

Com a colocação do Google e outras marcas sob o guarda-chuva empresarial da Alphabet, seus diretores passam a mensagem para o mercado da importância de se apostar em diversos segmentos com uma mesma marca — algo já feito a anos por outros grandes nomes, como Unilever, Coca-Cola, Apple e Microsoft. E com mais marcas em diversos campos, também existe a possibilidade de diversos acertos e inovações chegando por aí.

Mostrando que não está cansado em surpreender as pessoas, o Google — agora Alphabet —  aponta mais uma vez para o mercado e para os consumidores que ele não está cansado e que ainda tem muita coisa pra fazer pela web e pelo mundo.

E você, gostou do meu post de hoje? Tem alguma ideia de qual pode ser o próximo passo do Google? Então não deixe de contar pra mim aqui na caixa de comentários!

Read More...

UOL HOST e Vouclicar.com firmam parceria para ajudar na profissionalização da gestão das pequenas e médias empresas

A parceria, que oferecerá diversos aplicativos de gestão, visa atender as necessidades do dia a dia das micro e pequenas empresas de diferentes mercados

Segundo pesquisa do SEBRAE, com mais de 9 milhões de micro e pequenas empresas ativas no País,  o setor de MPEs já é responsável por 27% do PIB brasileiro. Diante desse cenário, o Portal Vouclicar.com e o UOL HOST anunciam parceria com objetivo de ampliar o acesso dos pequenos empresários à tecnologia, e sem necessidade de altos investimentos, disponibilizando um portfólio completo de aplicativos de gestão empresarial desenvolvidos para as PMEs (Pequenas e Médias Empresas) do Brasil.

“Os pequenos empresários sofrem para fazer a gestão de seus negócios, pois não contam com soluções completas, funcionais e acessíveis. Por isso enfrentam desperdício, baixo lucro e limitações no atendimento aos clientes. É isso que o Vouclicar.com e UOL HOST querem mudar com esta parceria”, explica Cristina Boner, fundadora do Vouclicar.com.

Com a parceria, o Vouclicar.com passa a oferecer um grande portfólio de aplicativos de gestão aos clientes do UOL HOST, que já disponibiliza às PMEs uma extensa gama de produtos e serviços para hospedagem de sites, criação de loja virtual e geração de campanhas de marketing online, entre outros.

“A partir da atuação conjunta entre UOL HOST e Vouclicar.com, as PMEs terão uma grande gama de aplicativos voltados para a gestão de empresas, que vão desde dados de vendas e relacionamentos com clientes até operações financeiras e administrativas. Consequentemente, as PMEs se tornarão mais produtivas e podem investir mais tempo no desenvolvimento de seus negócios, sem se preocupar com questões tecnológicas e, consequentemente, ampliar suas vendas e receitas”, afirma Marcelo Varon, gerente de marketing e vendas do UOL HOST.

“Formaremos assim uma grande teia de soluções que alcançará toda a cadeia produtiva e compradora. Essa visão é inovadora no mundo da computação. Esse ecossistema também será amplamente potencializado com a parceria, graças ao alcance de mercado do UOL HOST, o que aumentará o número de microempresários beneficiados”, explica Cristina.

A oferta integrada está disponível para aquisição dos empreendedores. no site www.uolhost.com.br/vouclicar, com preços a partir de R$ 10,90/mês. Diversos ramos de atividade comercial serão beneficiados com essas ofertas, como: pet shop, clínicas de diversos tipos, salões de beleza, escritórios de advocacia, escritórios de contabilidade, dentre outros. “Com uma plataforma baseada em ‘nuvem’ (Cloud Computing), tornou-se possível oferecer ao microempresário soluções de baixo custo, o que permitirá o desenvolvimento e profissionalização de diversos setores da economia”, destaca Cristina.

Read More...

#ClicoResponde, Finanças e Tributos, Últimas

Clico Responde: eSocial é prorrogado!

Governo adia publicação de manual definitivo, que irá servir de base para criação de cronograma de adoção

Sexta-feira é dia de #ClicoResponde! Muitos leitores mandaram perguntas nos últimos meses, o que nos gerou uma fila sem fim. Hoje vamos responder à questão da Jane Melo:

“Trabalho numa Instituição Filantrópica-Imune e Isenta, quero saber por onde começar eSocial e a partir de quando será obrigatório. Existe algum curso online ou EAD para fazer e conhecer melhor esse novo processo?”.

Oi, Jane! obrigado pela confiança.

Fui me informar sobre isso para conseguir lhe responder e fiquei sabendo que o Comitê Gestor do eSocial prorrogou, mais uma vez, a o prazo para implantação do eSocial. Parece que é a quinta vez que isso acontece. Aquela lista que publiquei no outro post, de abril, então, não está mais valendo.

A publicação desse pacote completo, chamado de Manual de Orientação do eSocial – MOS versão 1.2,  é fundamental para o início do processo de adaptação das empresas ao projeto. Seis meses após a divulgação desse manual, as empresas começarão a inserir os eventos iniciais em um ambiente de testes. E, após mais seis meses de testes, entrará em vigor a obrigatoriedade para o primeiro grupo de empregadores, formado por empresas grandes e médias (com faturamento anual superior à R$ 3,6 milhões no ano de 2014).

“O cronograma de ingresso no sistema para as pequenas e micro empresas está sendo elaborado em conjunto com as entidades representativas desses segmentos”, diz comunicado do eSocial.

Liguei no Ministério do Trabalho e Emprego na quinta-feira, dia 11 de setembro, e eles disseram que o novo manual ainda não foi publicado e que também não há prazo para isso acontecer. Pelo que andei lendo, o novo calendário deve vir, somente, no ano que vem.

Sobre os cursos EAD, não há nenhum específico que indiquemos, mas aparecem várias instituições em pesquisas no Google. Veja aqui.

Espero ter ajudado!

 

Tem uma pergunta? o #ClicoResponde

Read More...

Empreendedorismo, Últimas

Nova lei protege pequenas e médias empresas da burocracia

Dispositivo blinda quem fatura até R$ 3,6 milhões contra normas futuras que ampliem exigências e dificultem a operação

Vocês lembram da Lei Complementar 147/2014, que no último mês ampliou a abrangência do Supersimples, regulamentou o uso da substituição tributária e criou um cadastro único para as micro e pequenas empresas? A medida é uma das formas criadas pelo governo para acabar com a burocracia no Brasil e estimular a atividade empreendedora.

Segundo uma notícia apurada pelo jornal o Estado de São Paulo, essa nova regra traz outra novidade: um dispositivo que protege os pequenos e médios empresários, com faturamento bruto anual de até R$ 3,6 milhões, contra normas futuras que ampliem exigências e dificultem a operação de seus negócios.

Conforme a matéria, essa proteção é tratada como uma espécie de “marquise” pela Secretaria da Micro e Pequena Empresa. Funciona assim: novas leis que não ofereçam um tratamento simplificado e favorável para os pequenos terão sua incidência cancelada para todos os negócios desse porte.

O dispositivo foi homologado no dia 7 de agosto, há pouco mais de um mês, e já teve seu valor testado: restringiu o alcance de uma nova regulamentação que obrigava todas as farmácias e drogarias do País a manterem um bacharel farmacêutico em período integral.
Sem entrar no mérito desse caso específico das drogarias, é uma medida interessante, não acham?

Ficou com alguma dúvida? Mande pra gente, toda sexta-feira o #ClicoResponde.

Tem uma pergunta? o #ClicoResponde

Read More...

Tecnologia, Últimas

Saiba como vai ser possível emitir e armazenar nota fiscal de graça

Cerca de 15 mil empreendedores vão usar o sistema nos primeiros meses

Uma ótima notícia para empreendedores que emitem Nota Fiscal Eletrônica: a NFe do Brasil, empresa do grupo Globalweb Corp – a holding que controla o Vouclicar.com e o Guia Empreendedor – disponibiliza agora, gratuitamente, um site para emissão e controle dos documentos.

Esse serviço era disponível, até então, somente para clientes. Pessoas que não queriam pagar tinham como opção o serviço da Secretaria da Fazenda. A iniciativa foi tão bem vista que o Marco Zanini, líder da NFe do Brasil (e que já colaborou bastante com a gente aqui no Guia), deu uma entrevista sobre o tema para o site da Exame!

“Hoje, 80% das empresas que emitem nota fiscal utilizam o emissor da Secretaria da Fazenda. Nós já tínhamos um portal de emissão e resolvemos mudar a abordagem”, disse na entrevista.

Vantagens de usar o serviço gratuito da NFe do Brasil:

– Emitir a nota em mais de um computador por pessoas diferentes, ao mesmo tempo, sem afetar a numeração dos documentos e armazenar os dados na nuvem;
– Armazenar os documentos por 30 dias, com a possibilidade de fazer o download para o computador neste período;
– Fazer buscas nas notas por CNPJ, data ou número do documento.

O Marco Zanini acha que 15 mil vão usar o sistema nos primeiros meses. E então, você será um deles?

 

Tem uma pergunta? o #ClicoResponde

Read More...

#ClicoResponde, Últimas

Clico Responde: o MEI pode ajudar empreendedores sem CNPJ?

Hoje é sexta-feira, dia de #ClicoResponde!
Recebemos a seguinte questão no Lee Williams:

“Criei um website de anúncios onde o maior foco das divulgações seria em minha própria cidade. Não possuo CNPJ e não pude colocar meus contatos no site. O portal do Microempreendedor Individual [MEI] seria uma boa opção de formalização neste caso?”

Olá, Lee Williams!
Demoramos mais tempo do que gostaríamos para responder sua dúvida porque veio uma enxurrada de questões para o #ClicoResponde nos últimos meses. Isso gerou uma fila que tivemos de administrar (o que é um bom sinal, não acha?).
Vamos lá. Em primeiro lugar, o Guia Empreendedor recomenda sempre a formalização da empresa, em qualquer cenário ou situação. Quanto mais rápido isso ocorrer, menos problemas você terá que administrar no futuro.

Como funciona

O programa do Microempreendedor Individual é uma ótima (e fácil) alternativa para colocar a situação corporativa em dia. Quem escolhe se formalizar pelo MEI tem o limite de faturamento de R$ 60 mil ao ano e fica dentro do Simples Nacional (regime de tributação que deixa isento de tributos federais, como Imposto de Renda, PIS, Cofins, IPI e CSLL). O custo mensal com o governo é de R$ 36,20, acrescido de R$ 5,00 (Prestadores de Serviço) ou R$ 1,00 (Comércio e Indústria). Existem custos adicionais, como impostos municipais e estaduais, que variam conforme a localidade do Brasil.

O site do MEI explica que este valor que você paga é destinado à Previdência Social e ao ICMS (no caso de venda de produto) ou ao ISS (no caso de serviço). Desta forma, você recebe benefícios como auxílio maternidade, auxílio doença, aposentadoria, etc. A tributação é baixa e a burocracia é bem reduzida – um amigo meu criou a empresa dele pela internet, rapidinho, e saiu, em meia hora, com o CNPJ na mão.

Atividades

Para se enquadrar no MEI, é preciso atuar em algumas atividades econômicas específicas. Fiz uma busca em todas elas e não consegui identificar nada parecido com “site de publicidade”. Entrei em contato com o pessoal de atendimento do governo, mas até o momento não recebemos retorno. Você já chegou a falar com algum contador para entender qual poderia ser uma classificação para a atividade? Esse é um detalhe essencial para validar, ou não, sua inscrição no sistema.

Esperamos ter ajudado. Mais informações você encontra no site do MEI: Portal do Empreendedor. 🙂

 

Tem uma pergunta? o #ClicoResponde

 

Read More...