Desenvolvimento Humano, Destaque

Entenda os principais erros de liderança que não devem ser repetidos

Sempre recebo inúmeros pedidos de dicas sobre como ser um bom líder e hoje resolvi falar sobre esse tema, porém, escolhi fazer isso sob um prisma diferente: em vez de listar novas ações a serem realizadas, resolvi listar erros que, ao serem eliminados, favorecerão para a formação de um líder mais capacitado. Abaixo, coloquei os principais erros de liderança e os motivos para não repeti-los:

1. Não buscar uma comunicação adequada com os seus colaboradores

Bom, resolvi colocar esse tópico porque além de ser bastante rotineiro, ele engloba várias ações que realmente são bastante prejudiciais para o bom andamento da empresa. Sempre ressalto a importância de se ter uma boa comunicação interna.

Líderes que são inacessíveis, que não escutam os seus colaboradores, que explicam tarefas para sua equipe de forma superficial, que não dão feedback sobre o que está bom e o que precisa ser melhorado, são exemplos de uma comunicação inadequada que pode gerar muitos problemas para a empresa como: desmotivação dos funcionários, erros na execução de tarefas e estratégias falhas.

2. Confundir autoridade com autoritarismo

Essa é uma confusão que vejo ocorrer na prática com muita frequência, pois liderar uma equipe exige delegar tarefas e cobrar resultados, o que faz com que muitos gestores se percam e acabem se excedendo.

Para mim, um bom líder deve ser uma autoridade, naturalmente, ao demonstrar conhecimento sobre o assunto, ao ter resiliência para superar os desafios diários e o que eu considero mais importante: ser fonte de inspiração para a sua equipe, afinal liderar pelo medo só afasta os seus colaboradores, acarreta em queda de produtividade, o que certamente refletirá nos lucros da empresa.

3. Não buscar atualização para si e para a sua equipe

Tem uma frase que ouvi uma vez de um amigo e sempre repito quando se fala em alcançar resultados cada vez melhores: o treinamento nunca acaba!

Vejo que muitos líderes, ao chegarem nessa posição, acabam esquecendo de buscar aperfeiçoamento profissional, visto que já estão em uma boa colocação no mercado. Há também aqueles que acabam não compreendendo a importância de manter sua equipe atualizada com as novas tendências da sua área de atuação, o que pode trazer a perigosa sensação de estar parado no tempo e o pior: ver a concorrência atingir resultados melhores.

4. Não manter a sua equipe motivada

É claro que trabalhar em uma empresa legal já é motivador por si só, mas sempre digo que o ser humano tem uma forte tendência ao comodismo, o que faz a rotina muitas vezes ser perigosa e levar à desmotivação.

Cabe ao líder estar atento a isso e encontrar formas de motivar a sua equipe. Com base na minha experiência, posso dizer que uma equipe motivada pode ultrapassar barreiras até então impensáveis,contribuindo de forma significativa para o crescimento da empresa.

Quer estar sempre por dentro de todas as novidades e ler artigos interessantes como esse? Curta a nossa página no Facebook e acompanhe de pertinho todo os conteúdos bacanas que preparamos para você!

Read More...

Destaque, Empreendedorismo

Veja como a análise de mercado impacta na tomada de decisões de um negócio

Diariamente, eu recebo muitas dúvidas sobre como lidar com a concorrência e encontrar a forma correta de prospectar clientes. Bom, eu sempre digo que a concorrência é como aquela pessoa da família que não gostaríamos de ter por perto, porém, precisamos conviver com esse fato e nos adaptar à situação. Como fazemos isso? Simples: analisamos o que está ocorrendo e buscamos criar o menor impacto negativo possível.

Para tomar decisões acertadas em seu negócio, recomendo que use a mesma estratégia fazendo uma análise de mercado e vendo quais são as medidas mais adequadas a serem tomadas. Para te ajudar nesse processo, vou te dar algumas dicas muito bacanas:

1. Vá além de simplesmente conhecer o seu público

Direcionar o seu produto ou serviço para um determinado público e tentar compreender teoricamente o que ele procura não é o suficiente para se alcançar grandes resultados.

Digo isso porque eu como cliente sou um pouco chato e vivo mudando de ideia. Isso me faz ver que é necessário dar importância a esse fato, pois compreender os motivos do cliente ficar em dúvida, ir e voltar diversas vezes até comprar, perceber se ele prefere adquirir o produto de forma parcelada ou buscar um desconto à vista, é dar um passo além do comum e verificar os reais motivos que cercam uma venda, evitando assim cometer erros que possam melar o negócio.

2. Busque equilíbrio entre análises internas e externas

Tudo bem o que o Clico aqui não é um senhor de idade, mas já vi muitas vezes empresas se preocuparem mais com que as outras estão fazendo do que buscar compreender os seus processos internos.

Sei que toda análise interna tende a ser complexa, mas para isso existem muitos elementos facilitadores como sistemas de gestão que permitem apresentar indicadores de qualidade de forma muito mais eficiente e contribuem para um resultado final mais favorável.

3. Verifique o custo-benefício da otimização de processos

Eu sou suspeito para falar sobre a importância da tecnologia em nossas vidas, afinal sou vidrado nesse assunto. E acredito que toda empresa deve adotar uma postura similar e estar atenta a todas as novidades que o mercado oferece nesse nicho.

Uma empresa que investe em tecnologia é tida como descolada pelos clientes e tende a ultrapassar a concorrência com mais facilidade. Por isso, é importante analisar a melhor forma e momento de otimizar processos, investir em tecnologia e poder atender as demandas do público de forma mais qualificada (inclusive as minhas demandas, hehe).

Confie em mim, aplique essas dicas e verá o quanto isso contribui para uma análise de mercado mais funcional, o que consequentemente vai gerar uma tomada de decisões mais acertadas no cotidiano da sua empresa.

Já que o Clico te ajudou, agora é a hora de agradecer, não acha? Mas não diga um simples obrigado, em vez disso assine a nossa newsletter (nesse caso você sai ganhando de novo, afinal vai ficar por dentro de todas as novidades e receber artigos superinteressantes diretamente no seu e-mail)!

Read More...

Empreendedorismo

Veja o que fazer para aprimorar as técnicas de vendas da sua empresa

Tenho ouvido muitos gestores reclamando da queda das vendas nas suas empresas. Isso tem a sua razão de ser, já que estamos passando por um período difícil na economia nacional — o poder de compra do consumidor anda muito limitado, enquanto o nível de competitividade parece cada vez maior.

Mas como diz um antigo provérbio que eu gosto muito: “É melhor acender uma vela que praguejar contra a escuridão”. Por isso, neste post, vou dar algumas dicas de como aprimorar as técnicas de vendas da sua empresa e, consequentemente, otimizá-las. Vamos lá?

Capacite os seus vendedores

Todas profissões têm seus segredos. Com o vendedor, não é diferente. Ele precisa se capacitar para conseguir um número satisfatório de vendas mesmo que existam muitas empresas competindo no mercado. Para obter sucesso, ele terá que aplicar estratégias e técnicas valiosas, atualizadas e avançadas — ele precisa acompanhar a evolução, os recursos tecnológicos, as inovações, conhecer bem o mercado e o seu cliente-alvo.

Por essa razão, o gestor deve investir em treinamentos e capacitação para a sua equipe de vendas, a fim de torná-la apta para vender dentro e fora da empresa, aproveitando todas oportunidades. O setor de vendas precisa estar bem provido com ferramentas apropriadas de trabalho e conhecimentos suficientes na área para executar as tarefas com eficiência.

A seguir, listo algumas dicas de boas técnicas de vendas que a sua empresa poderá aplicar para crescer.

Características de um bom vendedor

Para começar, o bom vendedor precisa ser simpático, saber conversar com o consumidor, passar uma boa impressão. A verdade é que o vendedor é a ponte de ligação entre o consumidor e o produto. Isso significa que ele é fundamental para que o outro compre a sua mercadoria.

Para facilitar, vou fazer uma pequena comparação. Imagine uma ponte que liga um ponto a outro — ela é a única via de acesso entre dois extremos. Se essa ponte estiver em condições precárias, o que acontece? Ela se torna um meio de ligação não confiável e ninguém vai querer passar por ela. Com o tempo, ela pode até cair, rompendo definitivamente qualquer ligação entre os dois pontos. Pois essa ponte é o vendedor! E os pontos extremos são o consumidor, de um lado, e o produto, do outro.

O vendedor precisa ser agradável, oferecer uma boa imagem de si mesmo e estar apresentável na hora de vender. Quando o consumidor simpatiza com o vendedor, as possibilidades de comprar o produto aumentam.

Outra característica-chave do vendedor é ser atencioso com os consumidores. É preciso ter paciência para escutar o que ele fala, as suas dúvidas e histórias, envolver-se com ele a ponto de manter uma relação mais estreita e duradoura, que vá além do simples processo de vendas. Todas as 1pessoas gostam de ser ouvidas, e o vendedor precisa agir, em certas ocasiões, como uma espécie de psicólogo, que vai escutar histórias diferentes sobre compras que não deram certo e até sobre assuntos mais pessoais. Dentro do possível, responda a todas questões do consumidor e oriente-o da melhor forma possível, e não pensando somente em levar vantagem.

Também é necessário que o vendedor seja autoconfiante — ou seja, ele precisa saber detalhes, vantagens e desvantagens do seu produto para poder abordar o consumidor com um conteúdo embasado e sólido. A falta de autoconfiança gera dúvidas no consumidor e, mesmo que o produto seja de excelente qualidade, a insegurança do vendedor vai acabar impedindo que a venda se concretize — a não ser o que a pessoa já conheça bem o produto e esteja realmente interessada em comprá-lo.

Alerte os seus vendedores para a importância do atendimento personalizado

Esse é um dos pontos em que o homem se diferencia da máquina. Ele não pode estar “programado” para vender — precisa estar capacitado para realizar essa atividade. Ainda que existam características gerais entre os compradores, o vendedor sempre terá que se ajustar ao perfil único de cada consumidor com o qual entrar em contato.

Por esse motivo, os responsáveis pelo setor de vendas devem registrar todas informações importantes do cliente em um banco de dados: nome, endereço, e-mail, telefone, preferências, histórico de compras, pontualidade no pagamento, etc.

Pesquise formas de penetrar mais fundo no mercado

Quanto mais fundo a sua empresa penetrar no mercado, mais você terá chances de vender. Essa penetração pode acontecer de diversas formas. Você pode, por exemplo, oferecer outros produtos, adicionando inovação ao segmento em que já está inserido. As novidades costumam ser atrativas para os consumidores — o importante é que, passado o primeiro momento, o encanto não se perca e as pessoas continuem interessadas no produto.

Você também poderá investir em campanhas arrojadas, oferecendo descontos realmente relevantes e fazendo promoções que diferenciem a sua empresa das outras atuantes no mercado. Mesmo que isso implique em reduzir a sua margem de lucro, poderá ser vantajoso se obtiver mais vendas e conseguir captar e fidelizar mais clientes.

Ofereça bônus especiais, brindes para os compradores, serviços gratuitos, faça sorteios de produtos que são muito procurados pelos clientes, etc. Dessa forma, você estará conseguindo uma boa penetração de mercado, trazendo bons resultados para o setor de vendas.

Use a tecnologia a seu favor

A tecnologia é outro ponto fundamental sobre o qual eu não poderia deixar de falar. Existem muitos aplicativos úteis para otimizar o fluxo de vendas. São aplicativos que podem ser instalados no computador, no tablet, no celular, etc. Eles permitem a comunicação e integração entre o setor de vendas, o gestor e os vendedores. Permitem também o monitoramento do desempenho das vendas em tempo real, dando ao gestor e ao seu time a oportunidade de resolver conflitos de última hora, evitando a perda de vendas e de clientes.

É preciso, ainda, considerar as redes sociais, blogs, sites, plataformas, grupos digitais. Invista neles para divulgar a sua marca e estabelecer vínculos com o público consumidor. Caso seja viável, crie a sua loja virtual para dar suporte à sua loja física — o e-commerce é responsável por boa parte das vendas realizadas pelos consumidores.

Já usa algumas dessas técnicas para aumentar as vendas da sua empresa? Já usa recursos tecnológicos eficientes? Faça um teste gratuito do software do “Vouclicar.com” e depois diga o que achou!

Read More...

Destaque, Empreendedorismo

O que fazer para ter um controle de estoque eficiente

Conseguir um controle de estoque eficiente é crucial para o sucesso de qualquer empresa, independentemente da sua área de atuação. Essa é uma realidade tão inevitável que, atualmente, vemos gestores e empreendedores debatendo sobre como aprimorar os recursos logísticos e as políticas de gerenciamento da sua cadeia de suprimentos.

Definitivamente, essa não é uma discussão descabida. Você já parou para pensar na quantidade de clientes e parceiros que uma organização pode perder por não ter um bom controle do seu acervo e dos seus produtos? Fica claro que é fundamental investir nessa seara e melhorar esse setor.

Ficou interessado? Então confira o conteúdo que preparei a seguir e descubra algumas dicas que podem fazer com que o seu negócio dê um salto de qualidade:

Tenha mão de obra capacitada

O primeiro passo para ter um controle de estoque eficiente é contar com funcionários capacitados, que possam realizar as suas funções e tarefas do jeito adequado. Pouco adianta adotar excelentes práticas no seu acervo e otimizar os processos se o seu material humano não tem qualidade suficiente para deixar tudo em ordem.

Obviamente, isso já deve começar na seleção da equipe. Invista na contratação de pessoas que tenham experiência na área e que possam agregar valor ao empreendimento. Como bons talentos nem sempre estarão disponíveis no mercado de empregos, você também pode investir em capacitação com treinamentos adequados.

Existem cursos interessantes sobre logística e controle de estoque. Noções de informática também são indispensáveis, especialmente se você tem a pretensão de informatizar esse setor no seu negócio. Ainda que a maioria dos programas do gênero sejam simples e intuitivos, quem não está habituado com as interfaces da computação pode ter dificuldades.

Também é possível investir em treinamentos internos. Os próprios colaboradores mais capacitados podem dar palestras e minicursos para os demais, ensinando os detalhes e as nuances dos serviços de inventário. Lembre-se de sempre estimular e recompensar esses procedimentos.

Solicite inventários periódicos

Uma das melhores dicas para ter um controle de estoque eficiente é a produção de inventários periódicos. Essa atitude é fundamental para conhecer efetivamente o seu acervo, evitando perdas e retrabalho, ajustando os saldos, monitorando desvios e analisando se tudo está dentro dos critérios estabelecidos e esperados.

Outra maneira de implementar esse procedimento no seu empreendimento é com a adoção dos inventários rotativos, que têm se mostrado uma prática moderna e desejável em diversos segmentos. Ele consiste em fazer essa apreciação por amostragem dos artigos com mais rotatividade. A precisão é menor, mas ele é feito bem mais rapidamente.

Adote o uso de métricas

Outra prática indispensável é a adoção de métricas. Elas ajudam a controlar o estoque e também fornecem informações valiosas sobre o desempenho dos negócios e sobre a conquista ou não dos resultados esperados, embasando os gestores na tomada de decisões mais acertadas sobre o acervo.

Entre os indicadores mais utilizados nos dias de hoje, podemos citar o Tempo de Ciclo, que demonstra o período exato que o produto leva para chegar, desde o envio do pedido ao fornecedor até a entrada no seu local de armazenamento. Com essa métrica, o gestor sabe com quanta antecedência precisa fazer uma encomenda para que não fique descoberto.

Outra medida importante é o Consumo Médio, que demonstra a quantidade consumida de um item em um determinado intervalo de tempo. Sua principal função é determinar o número de mercadorias que você precisa ter na reserva para não correr o risco de deixar algum cliente insatisfeito.

Temos também a Cobertura do Estoque, que serve para indicar quão suficiente o seu inventário atual será para atender as demandas médias de compra. Ela é calculada por meio do cruzamento do número de mercadorias que você possui no momento com a sua previsão média de vendas.

Trabalhe com fornecedores de confiança

Outra prática importante, mas que muitas empresas acabam não adotando por questões econômicas, está em trabalhar apenas com fornecedores de confiança. É preciso ter em mente que o preço não é tudo e uma economia discreta com uma compra pode acabar se convertendo em um tremendo prejuízo no futuro.

Para ter um controle de estoque eficiente, você deve fechar parcerias que cumpram os prazos estabelecidos e jamais o deixem na mão. Leve em conta fatores como a credibilidade no mercado, a responsabilidade, a qualidade, a confiabilidade, o tempo de entrega e a disponibilidade. Invista nesse relacionamento e escolha com inteligência.

Faça uso adequado de promoções

Outra atitude estratégica para ter um controle de estoque eficiente é o uso adequado de promoções. Muitos gestores não encaram essa estratégia dessa maneira, mas o fato é que elas servem para que você regule o seu nível de mercadorias, se livrando de itens encalhados e renovando o seu acervo.

De quebra, você consegue atrair mais publicidade e pode conquistar ou até mesmo fidelizar clientes. Esse tipo de ação é indicada, sobretudo, para aqueles empreendimentos que têm uma necessidade mais elevada de liberar rapidamente espaço, especialmente as que trabalham com artigos perecíveis.

Adote um software de gestão

Por fim, adotar um software de gestão pode ser tudo o que faltava para sua empresa finalmente ter um controle de estoque eficiente. Com esse tipo de sistema, você consegue ter um excelente controle logístico e ganha um tremendo diferencial competitivo. Nos dias de hoje, temos uma infinidade de programas específicos do gênero.

Com uma precisão e uma praticidade de alto nível, você poderá abandonar de vez as planilhas de papel. Você terá um controle perfeito de suas compras e suas vendas, podendo cruzar essas informações em tempo real. Além disso, o software indicará prazos, alertará quando um artigo estiver com os níveis abaixo do desejado, integrará as equipes e muito mais.

Definitivamente, esse é um investimento com retorno garantido e excelente custo-benefício, que pode melhorar o desempenho e tornará o dia a dia do seu empreendimento imensamente mais tranquilo e eficaz.

E agora, já descobriu o que fazer para ter um controle de estoque eficiente? Ficou interessado e está pronto para adotar essas práticas? Então assine nossa newsletter e receba mais artigos como esse em primeira mão!

Read More...

#ClicoResponde, Destaque

Conheça os benefícios de um sistema integrado de gestão

A tecnologia se espalhou em todos os ramos da sociedade. É claro que, no meio empresarial, não seria diferente. Hoje, podemos ver o uso de softwares e sistemas em todo tipo de empresa, de pequenos negócios locais a multinacionais. Pode-se dizer que esse tipo de solução deixou de ser um diferencial e passou a ser uma obrigação para qualquer tipo de organização.

Muitos, no entanto, ainda desconhecem o potencial das ferramentas de gestão e, por esse motivo, acabam permanecendo com processos manuais e ineficientes. O resultado é a perda na produtividade do negócio, é claro.

Para que você se convença de que precisa entrar de uma vez nessa nova era, resolvi trazer, neste post, os benefícios de um sistema integrado de gestão. Confira!

Garanta a produtividade

Em primeiro lugar, um sistema integrado de gestão pode fazer muito pela produtividade do seu negócio, uma vez que os processos manuais, mais lentos, representam também a possibilidade de que surjam os gargalos de produção, ou seja, tarefas que levam a empresa ao retrabalho ou a desperdiçar recursos.

Para que a sua equipe produza em níveis competitivos no mercado atual, ela precisa das ferramentas necessárias para isso. A automação, portanto, é a alternativa para garantir a otimização da produtividade.

Reduza os custos

Outro grande benefício do sistema integrado de gestão é a redução de custos do negócio. Em primeiro lugar, é bom lembrar que os sistemas internos reduzem a necessidade de mão de obra na empresa, o que significa um corte de gastos expressivo, principalmente quando consideramos todos os custos agregados, como os demissionais, os relacionados aos treinamentos internos, entre outros.

Além disso, como mostrei, com a redução dos gargalos de produção você evita o desperdício de recursos da sua empresa, ou seja, otimiza todo o capital do negócio. Assim, pode direcionar os recursos com muito mais facilidades.

Otimize a tomada de decisão

Durante o planejamento estratégico do negócio, o gestor precisa definir metas e objetivos, além de traçar os planos de ação. Para isso, precisa avaliar tanto o ambiente interno quanto o ambiente externo. A dificuldade encontrada pela maioria dos gestores é reunir os dados necessários para fazer esse tipo de análise.

Claro que, com o software de gestão, você consegue fazer um levantamento de dados muito mais acurado e organizado, o que reverte em melhoria significativa na tomada de decisão. Afinal, você ganha em dinamismo e em fidedignidade.

Melhore o monitoramento

Por fim, os softwares de gestão podem ajudá-lo a melhorar muito o monitoramento das atividades da sua empresa, uma vez que, com eles, é possível acompanhar cada processo por meio de indicadores em tempo real.

Além disso, os sistemas são atualizados à medida que novas informações são coletadas, o que garante ao gestor um olhar acurado do seu negócio em qualquer momento que queira fazer uma avaliação do desempenho da empresa. Essa é a base, inclusive, para melhorar o planejamento estratégico do seu negócio.

Gostou do post de hoje? Então assine agora mesmo a nossa newsletter e fique por dentro de muito mais novidades!

Read More...

Finanças e Tributos

Saiba como calcular e controlar o capital de giro da sua empresa

Calcular e controlar o capital de giro é uma das tarefas que mais exigem atenção na gestão de uma empresa, não é mesmo? Por isso, reuni algumas dicas que vão ajudá-lo muito nesse processo, tornando-o muito mais simples e funcional, garantindo menos riscos no seu dia a dia.

Confira a seguir as dicas selecionadas por mim!

Organização adequada de todos os documentos financeiros

Quem não conhece aquelas empresas que possuem muitos setores e funcionários que lidam com diversos tipos de produtos e serviços, o que gera muitas vendas diárias, além de todo o custo de manutenção da estrutura? Ou, então, o inverso: as empresas menores que possuem poucas pessoas para lidar com muitos documentos relacionados às finanças do negócio?

Com base nesses exemplos e aplicando a mesma tese para todos os outros, quero dizer que uma boa organização é fundamental para que haja maior compreensão dos valores que entram e saem da empresa, além do que fica guardado, é claro. Por isso, sempre recomendo a utilização de ferramentas que facilitem esse processo, como softwares de controle financeiro, por exemplo.

Controle eficiente de inadimplência

Sempre digo que a inadimplência é uma visitante que frequenta a maior parte das empresas. Por isso, recomendo estar muito atento a isso, já que ela pode influenciar negativamente no lucro final.

Existem algumas ações simples para diminuir a inadimplência, das quais eu posso citar a implantação de um setor pós-venda, para procurar compreender os motivos pelos quais houve esse atraso no pagamento, e também a manutenção de um banco de dados dos clientes sempre atualizado e com a maior opção de contatos possível.

Criação de um calendário financeiro

Sabe aqueles meses em que o movimento diminui porque as pessoas vão viajar (verão, por exemplo) ou aqueles outros em que elas aumentam o consumo de produtos e serviços (Natal, ano-novo, por exemplo)? Pois então, isso acaba gerando um desequilíbrio positivo e negativo em relação ao capital de giro mensal.

Mas como resolver essa questão? Uma dica simples é guardar o dinheiro referente aos períodos de maior lucro para suprir as despesas dos períodos em que as vendas diminuem. Dessa forma, há um controle maior sobre o capital de giro, contribuindo para um planejamento financeiro mais eficiente.

Esteja atento aos custos de seus fornecedores

Sabe quando vamos a uma loja comprar determinado produto de que gostamos e vemos que o preço aumentou? Isso, normalmente, está ligado ao aumento de custo de produção ou de compra desse item, e o preço acaba sendo repassado para o público final, a fim de ser mantida a margem de lucro.

Por esse motivo, digo que é sempre necessário estar atento às oscilações de preço dos fornecedores, pois o aumento do valor para o consumidor final pode diminuir as vendas e influenciar negativamente na soma do capital de giro. Visando otimizar esse processo, sempre recomendo buscar ajuda na tecnologia para gerar uma gestão de custos mais eficiente.

Quer receber artigos interessantes como este diretamente no seu e-mail? É muito simples: assine a nossa newsletter e fique por dentro de todas as novidades!

Read More...